Você sabe quais são as metas internacionais de segurança do paciente?

Você sabe quais são as metas internacionais de segurança do paciente?

Hospital Aeroporto promove campanha de Natal Seguro, destacando as seis metas de segurança do paciente.

A segurança do paciente é a prioridade da nossa instituição, por isso, o Hospital Aeroporto escolheu esse tema para sua campanha do fim de ano de 2020. O objetivo é aumentar a conscientização e o envolvimento do público, tanto os profissionais quanto os pacientes e acompanhantes, para aprimorar a compreensão e estimular ações sobre o cuidado seguro.

Para que isso seja possível, investimos em constante treinamento dos profissionais, processos mais eficazes, comunicação transparente e estimulamos os pacientes para participarem ativamente do seu plano de cuidados.

Ao longo do mês de dezembro, uma grande campanha interna foi realizada pelo Núcleo de Segurança do Paciente, que contou com peças de comunicação espalhadas em todas as unidades da instituição, treinamento nos postos de trabalho e pequenas ações internas de reforço das metas, respeitando todos os protocolos exigidos pela Covid-19.

METAS INTERNACIONAIS DE SEGURANÇA DO PACIENTE

As seis metas internacionais de segurança do pacientes, definidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), têm como objetivo promover melhorias nas práticas assistenciais e evitar danos aos pacientes. As metas são adotadas em instituições de saúde do mundo inteiro. Aqui no Hospital Aeroporto são lideradas pelo Núcleo de Segurança do Paciente, que promove, rotineiramente, avaliações dos processos de trabalho, garantindo as boas práticas no cuidado assistencial.

META 1- IDENTIFICAÇÃO CORRETA DO PACIENTE

A identificação correta do paciente é muito importante para garantia da segurança do processo de assistência dentro de um hospital. Essa ação é o ponto de partida para identificar corretamente o indivíduo como sendo a pessoa para a qual se destina o serviço (medicamentos, sangue ou hemoderivados, exames, cirurgias e tratamentos). A falha na identificação pode causar vários problemas.

Como então garantir a segurança desse processo?

Se você é o paciente: confira se o seu nome está correto na pulseira de identificação e a mantenha visível no pulso até o momento da alta.

Se você é o profissional de saúde: siga o protocolo de identificação correta do paciente antes de qualquer procedimento.

META 2 – COMUNICAÇÃO EFETIVAS ENTRE OS PROFISSIONAIS

Atento à importância da Comunicação Efetiva na Segurança do Paciente, o Hospital Aeroporto adota treinamentos constantes e rigorosos protocolos internos que contribuem para o cumprimento desta meta. Alinhamos uma comunicação efetiva entre as equipes que deve ser clara, concisa, completa e uniforme.

Como então garantir a eficiência desse processo?

Se você é o paciente: comunique-se com clareza. Forneça informações precisas sobre seu histórico de saúde e medicamentos em uso, faça perguntas e tire suas dúvidas.

Se você é o profissional de saúde: mantenha-se atento e proativo. A comunicação efetiva se dá entre os profissionais de saúde quando estes transmitem ou recebem uma informação de forma completa e exata.

META 3 – SEGURANÇA NO USO DE MEDICAMENTOS DE ALTA VIGILÂNCIA

Erros de medicação representam uma ameaça à segurança dos pacientes. Medicações de Alta Vigilância são assim consideradas por representarem um risco ainda maior se administradas de forma equivocada. Por isso, todo cuidado é pouco. Aqui no Hospital Aeroporto reforçamos o protocolo dos 5 C – Paciente certo; Medicamento certo; Dose certa; Via certa; Horário certo.

Você sabe como ser um agente ativo dessa meta?

Se você é o paciente: informe os remédios que você já utiliza e se possui alguma alergia. Em sua estadia no hospital, envolva-se ativamente no seu tratamento, pergunte ao profissional, por exemplo, para que serve o medicamento que está utilizando.

Se você é o profissional de saúde: atenda com prontidão, agilidade e atenção aos detalhes. Conheça os medicamentos, suas dosagens, riscos e benefícios. Certifique-se que o paciente é a pessoa correta indicada para a medicação e realize a dupla checagem em caso de medicamentos de alta vigilância.

META 4 – SEGURANÇA CIRÚRGICA


Procedimentos padronizados e baseados em boas práticas internacionais, treinamento e atualização dos profissionais são estratégias que nós utilizamos para garantir a segurança das cirurgias no Hospital Aeroporto.

E como você pode atuar nesse processo de segurança da meta 4?

Se você é o paciente: antes da cirurgia, informe o médico sobre problemas de saúde que você tem. Alergias e diabetes, por exemplo, podem afetar tanto o procedimento como o tratamento. Não deixe que acompanhantes toquem a ferida cirúrgica ou os curativos e oriente-os a lavar as mãos, ou usar álcool gel, antes e depois da visita.

Se você é o profissional de saúde: atenção redobrada para a segurança cirúrgica. Siga corretamente todas as etapas do checklist, garantindo a cirurgia certa, no paciente certo e no local correto. A checagem deve ser feita nos três momentos: antes da anestesia, antes da incisão e antes de sair da sala.

META 5 – HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS PARA A PREVENÇÃO DE INFECÇÕES


A meta da higienização correta das mãos é uma das etapas mais fundamentais para garantir a prevenção de infecções dentro do ambiente hospitalar.

E como o paciente e o profissional de saúde podem reduzir o risco de infecções associadas aos cuidados de saúde?

Se você é o paciente: seja um agente fiscalizador do seu cuidado, observe se o profissional da assistência higieniza as mãos antes e depois de cada atendimento.

Se você é o profissional de saúde: uma estratégia simples, de baixo custo e alto impacto, é o correto e permanente ato de higienizar as mãos, que deve ser executado por todos os profissionais de saúde, em cinco momentos diferentes, incluindo antes e depois de qualquer contato com o paciente. Lembre-se sempre: mãos limpas salvam vidas.

META 6 – REDUÇÃO DO RISCO DE QUEDAS E LESÃO POR PRESSÃO

 

As quedas são eventos que podem causar lesões em pacientes hospitalizados. Sua incidência no ambiente hospitalar varia conforme o tipo de paciente atendido. Idosos, pessoas com distúrbios de marcha ou equilíbrio, rebaixamento do nível de consciência e em uso de determinados medicamentos, estão mais propensos a quedas.

Como medida de segurança, o programa de prevenção de queda do Hospital Aeroporto busca identificar o risco de queda dos seus pacientes e agir preventivamente, evitando esse tipo de acidente e eventuais lesões causadas por ele.

Mas, você sabe qual o papel do paciente e do profissional de saúde nesta meta 6?

Se você é o paciente: quando estiver internado a pulseira roxa identificará o alto risco de queda. Caso esteja usando uma, não saia do leito ou da poltrona sem o auxílio da enfermagem.

Se você é o profissional de saúde: oriente os pacientes e seus acompanhantes quanto aos riscos de queda e as medidas de prevenção. Identifique corretamente os pacientes com risco – em função das condições clínicas, dos medicamentos prescritos e dos tratamentos. A avaliação do risco deve ser atualizada diariamente no prontuário do paciente.